Textifique

“Angu de sangue”, de Marcelino Freire

EPÍGRAFE:
“Eu precisaria de alguém que me ouvisse. Mas que me ouvisse sentindo cada palavra como um tiro ou uma facada. Cada palavra e seu significado sangrento” – ARIANO SUASSUNA
 .
TRECHOS:
 .
“É a vida da gente o lixão. E por que é que agora querem tirar ele da gente? O que é que eu vou dizer pras crianças? Que não tem mais brinquedo? Que acabou o calçado? Que não tem mais história, livro, desenho?” – do conto MURIBECA.
 .
“Ela disse que ouviu dizer de minha vida, sim. De mulheres, de famílias. Mentira. Que eu tive filhos. Mentira. Que eu tentei me matar. Mentira. Mesmo a morte eu esperava morrer com ela. Todo tempo havia esperança, havia.” – do conto BELINHA.
 .
“Ela é puta, pai, puta, puta, puta. É aqui, mãe, nessa luz, pelo perfume eu sei. Ela pode se esconder, mas o perfume, pai, o perfume Deus tá vendo.” – do conto MOÇA DE FAMÍLIA.”…moço, não, quero ir pra casa, não, moço, não, o homem arreava as calças, mais o grito, moço, não, não, Socorrinho chorava, Socorrinho esperneava, Socorrinho não mais entendia aquele mundo estranho, aquele desmaio de anjo.” – do conto SOCORRINHO.
.
“__A senhora está com AIDS, dona Socorro.
A sirene da ambulância perturba o pesadelo dos carros. A cidade sente agonizar.
__ Eu explico.
Maria não sabia o tanto que chorava. Antônio teria que explicar, Deus teria que explicar.” – do conto FILHO DO PUTO.
.
“Sem ele, ela é uma bosta. Vira uma bosta. Volta a ser bosta. Empregada doméstica, mestiça, tição o corpo que atiça e brasa.” – do conto TROCA DE ALIANÇAS.
.
“Foi quando um homem estranho se aproximou, vejo que ele está mal-intencionado, vai querer entrar no meu carro, aproveitar que o sinal está fechado, Elisa, vai querer acabar outra vez com a minha vida” – do conto ANGU DE SANGUE.

.

“Amor que com amor se paga, e que agora Valeska dava de graça como uma puta do Senhor” – do conto A SENHORA QUE ERA NOSSA.

.

“__Quer?
__ Não entendi.
__ A criança.
__ A criança?
__ Quer?
__ Hã?
__ A menina.
__ Não entendi.
__ A minha filha” – do conto O CASO DA MENINA.

Share on Google+Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest
20/05/2015
Desenvolvido por Mídia360 © textifique. Todos os direitos reservados.