Textifique

“Uma escada que deságua no silêncio”, de Milton Rezende

ALGUNS POEMAS OU TRECHOS:

HISTÓRIA CONCISA

“O poeta dobra a esquina
com uma sacola de plástico:
pão, bife de hambúrguer e solidão.
Não vale a pena chorar por ele:
se fez as opções erradas,
se tombou pelo caminho,
nada fica além do fato
de um dia ter existido
e comido aquele sanduíche
barato”

***

(…) “ódio de tudo
e de todos,
neste momento
em que faço
uma análise
antes de deitar
o meu cansaço” – do poema ÓDIO

***

ANOS 70

“há muito que não a vejo
calibro a saudade no peito
alfa-centauro, sorteio:
não sei se te beijo
ou se bebo”

***

POUCO ESPAÇO NA MEMÓRIA

“Tudo o que pensei e senti
cabem
num único CD
regravável em outro micro.
CPU danificada
por vírus e gentes”

***

QUALQUER COISA

“Os medos infantis
e eu estava ali sozinho.
A inquietação da juventude
e eu estava ali sozinho.
A solidão da maturidade
e eu estava ali presente.
A dificuldade de comunicação
entre as pessoas que convivem
estreitamente e eu estava ali”

***

(…) “A minha vontade é rasgar
o estatuto do idoso
e voltar a ser criança” – do poema INTERVALO

***

(…) “Hoje eu quero morrer sem contar pra ninguém que eu fiz isso” – do poema ANDARILHO.

***

(…) “Eu não sou apenas
funcionário público
seus merdas
sou também poeta” – do poema AUTO-RETRATO III

***

(…) “Adoro tudo que não esteja
ao meu alcance,
só para poder buscá-las” – do poema AS MAIS BELAS HISTÓRIAS.

Share on Google+Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest
20/06/2015
Desenvolvido por Mídia360 © textifique. Todos os direitos reservados.