Textifique

Você tem vergonha de falar em língua estrangeira?

Por Allyne Fiorentino

Tudo estava bem na aula até que a professora propôs um exercício de conversação. Aquele friozinho na barriga, o suor nas mãos, o terrível medo de errar e aquele pensamento: “Por que não faltei hoje?”.

Todo mundo que estudou língua estrangeira em algum momento da vida já passou por isso. Muitas pessoas não encontram grandes problemas em resolver exercícios de gramática, em decorar regras nem em conjugar uma enorme lista de verbos em outra língua, mas na hora de falar a vergonha pode ser uma grande barreira.

EU ME SINTO RIDÍCULO

Todo mundo se sente meio ridículo falando em uma língua que não é a sua, principalmente porque cada língua tem um ritmo diferente, um determinado tom de voz ou um sotaque que é característico de um povo, de forma natural.

Quando aprendemos uma língua, nós imitamos um sotaque, porque este não existe naturalmente em nós. E essa maneira artificial de falar pode provocar aquela sensação desconfortável, como se fôssemos crianças brincando de imitação. E é isso mesmo! Nosso contato com a outra língua pode ser comparado ao de uma criança. Por isso, assim como na infância, é importante não queimar etapas e entender que todas são igualmente importantes para que haja fluência mais tarde.

 

TENHO MEDO DE ERRAR NA FRENTE DOS OUTROS

Esse medo, na verdade, pode ser estendido para todas as áreas da vida. O medo de errar uma palavra, de pronunciar de forma incorreta ou de simplesmente não saber dar continuidade a uma conversação pode equivaler ao mesmo medo de falar em público (em língua materna mesmo) ou de expressar sua opinião de forma pública: as pessoas têm medo de julgamentos.

E quando as pessoas têm medo do que os outros vão pensar, a tendência é se fechar, se preservar ao máximo. Entretanto, quando você se fecha para os erros de conversação, também se fecha para o aprendizado.

Na aula de língua estrangeira, devemos levar em conta que todos estão aprendendo e, dificilmente, alguém sabe muito mais do que o outro, já que a aprendizagem é dividida por níveis. Todos, sem exceção, têm dificuldades. Uns mais que outros, mas o fato é que todos irão errar em algum momento, seja na fala, seja na escrita, portanto não se sinta tímido para errar!

 

APENAS INICIANTES TEM VERGONHA DE FALAR. MITO!

Não é apenas no início de um curso, quando o conhecimento sobre a outra língua ainda é pequeno, que a vergonha aparece. Com o passar do tempo, o nível de aprendizado aumenta e a cobrança também, ou seja, é esperado de uma pessoa que já cursa uma língua estrangeira há algum tempo uma certa fluência na fala. O indivíduo pode pensar: um erro pode ser perdoado em quem ainda não sabe tanto, mas para uma pessoa que já tem conhecimento, o erro é mais “feio”.  Isso é um grande mito!

Mesmo que você estude por anos a fio, que faça intercâmbio ou more em outro país, você sempre será estrangeiro, e a outra língua nunca será sua língua materna, será sempre sua segunda língua, a língua do outro. Mesmo na língua materna cometemos erros. Ninguém sai pelas ruas com sua gramática e dicionário de Português na mão para não errar nada! Portanto, todos os erros são “perdoáveis”, desde o iniciante até o fluente!

 

JÁ QUE SOMOS CRIANÇAS, VAMOS BRINCAR!

Se ao aprender uma língua estrangeira somos de novo crianças, por que não brincar?

- BRINQUE com o ritmo da língua;

- ESCUTE os nativos falando;

- IMITE e experimente os vários sotaques possíveis;

- CANTE em voz alta as músicas em língua estrangeira;

- CONVERSE sempre que puder com o professor e com os colegas que aprendem junto a você.

 

Fale sem vergonha e bons estudos! ;)

Share on Google+Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest
Desenvolvido por Mídia360 © textifique. Todos os direitos reservados.